OSTEOPATIA

A osteopatia é um sistema de avaliação e tratamento, com metodologia e filosofia própria, que visa restabelecer a função das estruturas e sistemas corporais, agindo através da intervenção manual sobre os tecidos (articulações, músculos, fáscias, ligamentos, cápsulas, vísceras, tecido nervoso, vascular e linfático).

São três os campos de ação ou indicações da osteopatia:

Aparelho Locomotor

            * Problemas posturais

            * Cervicalgias

            * Torcicolos

            * Neuralgias cervicobraquiais

            * Dorsalgias

            * Lombalgias

            * Ciáticas

            * Cruralgias

            * Hérnias

            * Periartrites escapulo-umeral

            * Algias musculares, etc 

O Crâneo

            * Cefaleias e enxaquecas

            * Problemas oculares

            * Problemas do ouvido

            * Sinusites e renitis

            * Problemas de articulações temporo-mandibulares, etc…

Sistema Visceral

            * Gastrites

            * Hérnia do hiato

            * Problemas intestinais

            * Obstipação

            * Transtornos digestivos em relação com a vesícula biliar

            * Transtornos menstruais (dismenorreias, síndrome intermenstrual e algumas outras patologias da esfera genital)

            * Dores do cóccix.

Informação extra

Osteopatia é um tratamento surgido nos EUA, cujo criador foi o Dr. Andrew Taylor Still (1828-1917), que apresentou os princípios desta terapia natural.

Este médico pôs em evidência que a inter-relação que existe entre o sistema músculo-esquelético e o resto do corpo era importante para evitar que apareçam disfunções e patologias. Descobriu também que o corpo possui uma certa capacidade de autocura através de meios de reequilibração próprios. O objectivo de todos os Osteopatas é intervir sobre as disfuncionais somáticas para permitir que os mecanismos intrínsecos de equilibração das suas funciones recuperem a saúde do individuo.

A osteopatia é um sistema de avaliação e tratamento, com metodologia e filosofia própria, que visa restabelecer a função das estruturas e sistemas corporais, agindo através da intervenção manual sobre os tecidos (articulações, músculos, fáscias, ligamentos, cápsulas, vísceras, tecido nervoso, vascular e linfático).

A validade da Osteopatia é tão concreta que é recomendada e incentivada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) como prática de saúde.

Podemos definir a Osteopatia como um método de tratamento manual das disfunções somáticas do corpo humano em relação com a sua participação nos processos patológicos que conduzem a doença: o tratamento de estas disfunções estruturais favorece ou ajuda no tratamento de certas doenças.

Na osteopatia utilizam-se técnicas específicas para cada tecido do corpo (articulação, ligamento, músculo,víscera o suptura do crânio).

Existem dois grandes grupos de técnicas osteopáticas:

* As técnicas estruturais: dividem-se em técnicas de thrust e técnicas rítmicas de tecidos moles.

As de thrust utilizam-se para corrigir uma disfunção somática e utiliza na sua execução pouca amplitude e alta velocidade. Nestas técnicas a combinação dos parâmetros menores de movimentos permite diminuir a força, de forma que se evite qualquer tipo de traumatismo sobre os tecidos do paciente.

As técnicas rítmicas, são aquelas fundamentalmente dirigidas aos tecidos moles e ás articulações. Um exemplo de estas técnicas são: stretching, bombeio, relaxação post- isométrica ,miofasciais, etc.

* As técnicas funcionais: as que se aplicam com o objectivo  de relaxar a musculatura, inibir a tensão miofascial e aplicam  se não só a nível músculo-esquelético como também a nível craneal e visceral.

Contra-indicaciones relativas ás tecnicas manipulativas:

Cancros ósseos, reumatismos inflamatórios, fracturas e luxações, malformações do esqueleto, osteoporose avançada, assim como certos vertigens por insuficiência vertebrobasilar,  parálisia, etc….

A osteopatia é um tratamento global do corpo, holístico.

Dor e osteopatia

Nem sempre existe uma correlação entre o segmento em disfunção osteopática e a zona que apresenta a dor: muitas vezes a zona dolorosa deve-se a um segmento hipermóvel que compensa uma zona hipomóvel de fixação articular (hipomobilidade). Esta pode esta bloqueada por cima ou por baixo da região que apresenta os sintomas.

O tratamento das zonas hipomóveis, de fixações articulares, permite que diminuam as compensações hipermóveis, diminuindo a inflamação de estas e permitindo igualmente a desaparecimento ou diminuição de dor.

O primeiro tratamento osteopático inclui um exame completo:

* anamnese, inspecção da postura , palpação dos tecidos e articulações, testes de mobilização activos e passivos, testes ortopédicos e neurológicos, exame radiológico e provas de laboratório que dispõe o paciente.

* O exame osteopático vai evidenciar todas as alterações mecânicas do aparelho locomotor, do crânio e do sistema visceral. Depois de esta avaliação cuidadosa, precisa, completa e global o Osteopata estabelecerá a cadeia lesional do paciente.

* Na parte terapêutica o Osteopata aplicará toda uma serie de técnicas adaptadas ao diagnóstico osteopático previamente estabelecido.

O ritmo das sessões de tratamento varia de um caso para outro, habitualmente os tratamentos são feitos a cada 2 ou 3 semanas, salvo nos casos muito agudos onde as sessões podem realizar-se com maior frequência.